A frequência de uso da internet por crianças e adolescentes veio crescendo nos últimos anos, chegando em 2014 a 81%, segundo a pesquisa TIC Kids Online Brasil 2014, apresentada em São Paulo. A pesquisa feita pela Cetic.br em parceira com a Unicef e a Google apresentou dados sobre os hábitos e acesso de crianças e jovens à internet. Para essa verificação foram entrevistados 2.105 crianças e adolescentes e 2.105 pais ou responsáveis, de 129 municípios brasileiros entre outubro de 2014 e fevereiro de 2015.

Os dados que abrem a pesquisa mostram que houve um aumento considerável da frequência com que acessam a internet, impulsionado pelo acesso mais fácil a tablets e smarthphones. Em 2013 os celulares eram utilizados por 53% dos entrevistados e em 2014 esse número saltou para 82%, mais da metade do verificado anteriormente.

Outro dado importante e que ressalta a questão da medição do uso da internet é que 73% dos entrevistados utilizam a rede em local privado, como seu próprio quarto, enquanto 49% utilizam enquanto se deslocam. Nessas situações não é possível pais ou responsáveis saber qual o conteúdo que estão acessando ou orientar sobre o que utilizar na internet.

O principal uso da internet pelos entrevistados é o acesso às redes sociais e de busca. Segundo os dados levantados, 73% têm como principal atividade o acesso às redes socais, 68% utilizou para trabalhos escolares, 67% para pesquisa e 64% para enviar mensagens instantâneas.

Parte da pesquisa foi dedicada a investigar os riscos que essas crianças e adolescentes foram expostas durante o acesso à rede, principalmente no uso das redes sociais, espaço onde 95% dos jovens entre 15 e 17 anos possui pelo menos um perfil. No quesito de tratamento de forma ofensiva na internet 15% dos entrevistados alegaram já terem passado por isso, 21% já teveram contato com mensagens de ódio destinadas a outras pessoas ou grupos e 10% já tiveram as suas informações pessoas utilizadas de forma desagradável.

Durante a apresentação, feita por representantes da Ceticbr, Unicef e Google, foi ressaltado a preocupação com a mediação do uso da internet por crianças e adolescentes. Os dados apresentados reforçam a necessidade de preparar pais, responsáveis, educadores, empresas e sociedade civil para acompanhar as crianças e adolescentes, e fazer com que tenham as melhores experiências utilizando a ferramenta.

Para fechar a apresentação, foi anunciada a campanha Internet Sem Vacilo da Unicef em parceira com a Safernet.   A campanha conta com ações online que convidam crianças e adolescentes a uma reflexão em torno dos cinco principais temas apresentados pela pesquisa que são: ciberbullyng, privacidade, relacionamento, busca de informação,  preconceito e intolerância. Além disso, utilizando esses temas foi aberto o concurso de memes e vídeos Internet Sem Vacilo com inscrições até 17 de agosto, confira o regulamento