0 Replies Latest reply on Jul 25, 2016 11:51 AM by RamonCruz

    3 coisas que perdemos banindo os celulares da sala de aula

    RamonCruz

      É normal, e até lei em alguns lugares, os celulares serem banidos da sala de aula, e o vício entre os jovens é algo que muitos professores lamentam. Nós vemos alunos olhando para os celulares disfarçadamente sob a mesa, aquela selfie óbvia pro Snapchat, ou uma risada aleatória por conta de alguma mensagem no Whatsapp. Contudo, banir os celulares da sala de aula nos tira a chance de transmitir alguns aprendizados:

       

      1. Conversar sobre o uso apropriado
      Existem empresas que hoje usam o que chamam de mineração de dados para checar o histórico de seus entrevistados. Essa mineração é algo sério, e os "mineradores" usam programas para extrair e juntar dados de sites, como redes sociais, e criam um perfil do indivíduo. Nada escrito na internet é escrito a lápis, mas sim a caneta, e as coisas que nossos alunos escrevem podem dar problemas para eles por mais tempo do que imaginamos.

       

      Se banirmos o celular, não podemos conversar com eles sobre as consequências no futuro dessas atitudes. Claro que alguns ainda vão agir de maneira inconsequente na internet, é isso que muitos adolescentes fazem. Não dá pra mudar isso, mas podemos ter certeza de que os estudantes que nos ouvem e pensam antes de agir estejam devidamente informados.

       

      Com o celular na sala, temos a oportunidade de ensinar que aquelas agressões, provocações, frases preconceituosas e etc, podem voltar para atormentá-los no futuro. Talvez o assunto nem seja relacionado a disciplina que você como professor ensina, mas é um conhecimento que vai afetar a vida de nossos alunos muitos anos depois de eles saírem de nossas salas de aula, e por isso é importante compartilharmos isso.


      2. Celulares são ferramentas úteis

      Você pode usar aplicativos e programas e pedir para seus alunos realizarem diversas atividades:
      - Analisar poesias (Dicionários e Tesauros)

      - Pesquisas (Curtas, apenas para esclarecimento)
      - Fotojornalismo (Podendo pesquisar exemplos e integrar fotos nas redações)

      - Aplicativos de Quiz (Permitindo aprendizagem de conhecimentos gerais de forma divertida, interativa e colaborativa)

       

      3. Um teste de força de vontade

      O psicólogo e professor Walter Mischel conduziu uma série de testes de gratificação atrasada, conhecido como Experimento do marshmallow. Pesquisadores mostraram que o desenvolvimento de força de vontade é vital para se tornar um adulto socialmente equilibrado em áreas como popularidade, boas relações interpessoais, realização de responsabilidades, e sucesso na escola e trabalho.

       

      O celular no bolso de nossos alunos é uma analogia ao marshmallow. Quem consegue controlar a vontade de dar uma olhada no Whatsapp, mandar um Snapchat, ou ignorar a vibração no bolso até mais tarde? Observando como os estudantes interagem com seus celulares podemos ver quais estão mais maduros, quais conseguem controlar seus desejos, e quais são controlados por seus desejos. Com essa informação é possível ajudar nossos alunos a construir essa força de vontade, seja retirando o celular do aluno até o fim da aula, conversando com eles como dito no primeiro tópico. Ensinando-os a ter uma mentalidade de amadurecimento - ou incutindo uma - nossos alunos podem aprender a ter mais resistência a ceder a seus desejos e aprenderem a ter mais concentração.

       

      O que vocês acham sobre os celulares na sala de aula? Além da utilidade óbvia da utilização de aplicativos, também podemos usar o assunto para criarmos cidadania digital e outros assuntos, como mencionei. Alguém aqui tem mais experiência com esse assunto? E mesmo que não tenha, acham que o celular mais atrapalha que ajuda nossas aulas?